Comunicação interpessoal

Aquele e velho dedo de prosa. Reaprender a conversar, dar tempo ao que de importa: conhecer o outro e fazer-se conhecer. É na relação que tudo acontece. Por isso, o "como" nos comunicamos tem a ver com nossos valores, com o comunicador que queremos ser. 

Qual aspecto terá maior impacto na sua performance comunicativa?  Em seguida, criar o  plano de ação, a fim de incorporar as mudanças desejáveis. O que importa aqui é alicerçar-se no autorrespeito e no respeito aos demais, às nossas singularidades.

 

Priorizar a atitude de qualidade na comunicação interpessoal, ou seja, o encontro consigo (auto-empatia) e com o outro (empatia pelos demais).

Em suma, por meio do diálogo, promover a melhora constante – das relações pessoais e profissionais.

Capa do livro sobre Comunicação  Interpessoal de Renata Di Nizo