O segredo da releitura

Comumente, ao escrever, é possível pular palavras ou ideias, porque o pensamento é mais rápido do que a capacidade de digitar. Daí, a importância desse ciclo contínuo: anotar, reler, reescrever.

Ademais, é importante se colocar no lugar do receptor, em um esforço consciente de checar a clareza, verificando se as frases estão coerentes, e se não existem termos ambíguos, repetições ou redundâncias. Criar um jeito sistemático de reescrever, prestando atenção em cada palavra e no texto como um todo.

Leva tempo até conseguir perceber o que há a melhorar. Ou seja, a falta de crítica construtiva é igualmente um impeditivo. De qualquer maneira, às vezes, ajuda muito dar um tempo, deixar o texto respirar e submetê-lo à leitura de uma terceira pessoa.

Às vezes as ideias estão incompletas. Faltam informações ou a paciência de preencher as lacunas para facilitar a leitura. Ao contrário, acontece de o texto estar cheio de gorduras, excessos de quês, de adjetivos e verbos. Frases descuidadas que nos obrigam a reler várias vezes e, ainda assim, permanecemos com as interrrogações.

Por isso, cuide da junção das palavras. Certifique-se de que atingui seu objetivo de comunicação. E, obviamente, procure encantar seu leitor. Aquilo que você diz tanto pode cair no vazio, como pode comunicar, informar e, quem sabe, inspirar.

Featured Posts
Recent Posts
Archive
Search By Tags