O garoto caloteiro


Voltando para casa, trafegava por uma daquelas estradas sinuosas do sul mineiro.

Repentinamente, uma pedra kamikaze resolveu levantar-se bem quando uma das rodas do carro passava sobre ela.

Ouvi um estampido estranho e parei imediatamente.Sai do carro e pude observar uma das calotas correndo ladeira abaixo, indo parar, caprichosamente, bem em frente ao que parecia ser uma borracharia ao pé da serra.

Tirei a pedra suicida da estrada para evitar algum acidente.Descendo a pé até o local, reparei que ela fora encontrada e estava sendo limpa por um garoto. Enquanto eu me aproximava, ele a pendurava na parede, junto a inúmeras outras.Cumprimentei-o e disse que aquela calota era minha.

Sem pestanejar, ele olhou para mim e disse: "O senhor tem certeza do que tá falando?"

- Lógico! Aquele carro lá em cima é meu. Passei sobre uma pedra, a calota soltou-se e desceu a ladeira até aqui.

- Bem, essa é a sua estória. Eu moro aqui faz muito tempo e chegam calotas novas o tempo todo. Pego elas com cuidado, limpo e ponho aqui para vender. Se o senhor quer ficar com essa, é R$10,00. E ainda instalo "pro" senhor.

Vendo que não adiantaria argumentar com o garoto, e como já escurecia, concordei em dar-lhe o dinheiro. Subimos juntos até o local onde havia deixado o carro. Ele encaixou a calota direitinho e se despediu.

Voltei à estrada e, pelo retrovisor, pude reparar que o garoto pegou a tal pedra no acostamento e ajeitou-a cuidadosamente no mesmo lugar onde estava quando por lá passei...

Featured Posts
Recent Posts
Archive
Search By Tags